sábado, 23 de março de 2013

Carta Anônima


Querido Anônimo,
Se você soubesse que há uma mistura de sentimentos dentro de mim me sufocando, talvez você saberia que o meu sorriso não é verdadeiro. Eu quero chorar agora e por mais que eu tente algo me impede. Por que é tão difícil assim chorar? Será que é por que eu não encontro motivos para assim o fazê-lo? E eu sinto a sua falta de novo. Neste fim de tarde nublado, eu desejo te ter em meus braços mais uma vez. Eu quero te sentir comigo e fazer um sorriso bobo sair de seus lábios. Embora eu me sinta confusa entre tudo o que anda acontecendo comigo. Eu não sei o que tem aqui dentro, só sei que machuca. Eu sabia que era bom demais pra ser verdade. Eu sabia que a minha felicidade duraria muito pouco. Hoje, eu estou aqui escrevendo esta carta, querido anônimo. Tentando desabafar porque está complicado aguentar tudo isso em silêncio. Seja quem for por detrás desta tela, que está lendo agora este texto e não está entendendo mais nada do que eu estou escrevendo, você já passou por isso, meu bem? Será que você agora se identifica comigo ou isso é um grande mar de palavras sem sentido? Tudo bem acho que te entendo! Mas será que você me entende? Não, querido anônimo. Você não entende, entretanto, mesmo assim tente entender, eu imploro. Eu estou desesperada. Eu não sei o que faço. Eu estou dividida entre um amor momentâneo e o que parece ser o amor da minha vida. O último até então não é correspondido. No entanto, ultimamente, eu ando sonhando muito com ele. Nos sonhos estamos juntos e felizes e é a primeira vez que isso acontece. E quando eu olho pra ele, eu vejo o meu futuro ali estampado. E se isso for uma mera ilusão? Eu não sei, por isso ando confusa! Confusa porque o meu amor momentâneo é aquele que me faz bem e me faz feliz. Só que parece que falta algo. E eu também gostaria de saber o que é. Você continua ai, querido anônimo? Entende agora o meu desespero? Eu sei que não é da sua conta e nada disso escrito aqui mudará a sua vida, mas a quem leu isto até o final, eu agradeço de coração. E peço desculpas a quem não achou nada de interessante aqui, porque é uma carta-desabafo e um dia você preencherá o lugar que preencho agora. Você entenderá cada pensamento meu, embora assim como eu não tenha resposta para todas estas perguntas. Com carinho,
A mulher por detrás desta tela

Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário