quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Carta as Lágrimas


Queridas Lágrimas,
Há tanto tempo não as vejo. O que tens acontecido para tal desaparecimento? Tenho sentido sua falta. Principalmente, nos últimos dias. Nunca imaginei pedir isso, mas gostaria de tê-las novamente em meus olhos, caindo levemente pelo meu rosto como gotas de chuva após uma tempestade, esperando o arco-íris reinar sobre o céu. Só com você poderei sorrir, pois és a responsável por lavar a minha alma, renová-la a cada instante que choro. Não fique tímida, meu bem. Porque tens medo? Vocês imaginam o quanto são importantes para mim? O que seria de mim sem vocês? Bom, eu já estaria morta! Sou um pequeno e frágil ser humano feito de carne, osso e alma, condenado a morrer a qualquer instante. Eu necessito de ti aqui dentro para conseguir continuar vivendo. Preciso de um anjo que tire de mim as mais profundas mágoas, os piores medos e os aterrorizantes sentimentos que habitam em meu ser. E esse anjo, esse lindo anjo são vocês. Sorriam queridas lágrimas. Eu lhes peço, eu imploro que voltem para seu lugar: meus lindos olhos que já não brilham mais e não possuem mais cor ou sabem o que é fotografar a vida para gravar na memória os melhores momentos. Atenciosamente,
Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário