segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Alma Perdida


Às vezes, as coisas não dão certo. São tantas recaídas que a desilusão chega a você e, sem muito a lhe dizer, se apossa de tua vida e a transforma num beco sem saída. A princípio, você pensa que não há muito a fazer. Você se entrega inteiramente nesse poço sem fim. A cada dia que passa, a realidade vai se afastando e você vai afundando cada vez mais. Esperança? É o que falta para acabar com tanto desgosto. Meses passaram desde quando a desgraça visitou sua vida. O cansaço aumenta, a verdade machuca. São poucas as opções a serem tomadas. Seus olhos já não fecham, e nenhuma voz sai de tua boca. Não há som ou luz. Sua alma se encontra perdida. Mas, o seu corpo permanece ali naquele poço, caindo e caindo. Agora há volta? Você tenta se movimentar, embora, seu corpo permaneça intacto. Você tem uma vontade louca de gritar, mas nada sai de seus lábios. Você fica olhando aquela pequena luz lá no fim e, de repente, ela se vai. Então, você começa a chorar. Um choro sem lágrimas. Entretanto, alguém lá no fim grita por ti. E você o responde. Ele joga uma corda e sem muita força você vai subindo devagarzinho. Palavras de apoio rompem o silêncio e aquela luz volta. Começa a se aproximar. A alegria apossa teu corpo. Agora, são várias as pessoas que se encontram fora do poço. Seus olhos ardem por causa da claridade do dia. A adrenalina percorre suas veias e, em minutos, você encontra sua alma.
Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário