quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Alguém


E lá estava eu mais uma vez entrando na escola, perdida em meus pensamentos. Planeta Terra chamando, Planeta Terra me atormentando. Alguém estava pedindo minha atenção. Sem muito que tirar proveito para a conclusão do porque, justamente, aquele garoto estava me chamando, segui seus passos lentos em direção a um lugar em que ninguém nos pudesse ouvir. Ele se virou e me olhou nos olhos. Agora eu estava assustada. E mesmo querendo dizer algo para aliviar o súbito silencio entre nós, nada saía de meus lábios. Desviando o olhar e encarando o chão o garoto com o qual eu muito pouco havia conversado, me disse:
- Percebi que você está mais feliz. Havia tanto tempo que eu não via um brilho em teus olhos. É como se você estivesse morrendo, até parecia que sua vida era em preto e branco. E, de repente, você mudou. Estava mais feliz, seus olhos voltaram a ter satisfação e sua vida agora havia cores (pausa) O que aconteceu? Quer dizer, porque estava tão triste, tão morta e subitamente ficou mais feliz do que nunca?
Agora, eu sorria. Aquele garoto que muito pouco falava comigo, por um passado complicado, ainda se importa com minha vida. Queria abraçá-lo, embora, eu sabia que não podia fazer isto. Eu nada lhe disse e ele esperava por uma resposta. Coloquei meu cérebro para trabalhar. Depois de um tempinho analisando, lhe respondi:
- Eu só precisava de alguém que me desse motivos suficientes para voltar a amar, a ser feliz e viver. E num simples acaso, encontrei uma pessoa que não só foi minha cura, como também, é meu porto seguro!
Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário