sábado, 30 de julho de 2011

Sonho


O vento sopra o meu rosto e eu me lembro de tuas caricias. Seu sorriso envergonhado em minha direção questiona-me o porquê as coisas não deram certo. Te observo com muita cautela. Seus lábios chamam meu nome. Me perco em confusão. Será isto uma ilusão? Não! É tudo tão real. Gostaria de poder gritar, dizer: estou aqui e sempre estarei. Mas, nenhum som sai de minha boca. Então, você vai embora. Eu tento correr e te impedir. No entanto, é tarde demais. Caio em desespero. Mãos tentam me segurar. Nenhum sucesso. Continuo caindo. Parece não haver fim. Tento combater as lágrimas que jorram de meus olhos. Não sinto medo, apenas tristeza. A velocidade da caída vai diminuindo e, em questão de segundos, meu corpo entra em contato com o chão. Meus olhos não conseguem se abrir. Escuto tua voz, ela me chama. Luto contra a fraqueza e te vejo. Como és belo! Você me pega no colo e eu te agarro com a maior força que tenho. Seu olhar se encontra com o meu. Sua boca se junta com a minha. Eu me remexo na cama. Acordo e descubro que isto era apenas um sonho.
Aline Bueno


Nenhum comentário:

Postar um comentário