segunda-feira, 14 de março de 2011

A luta pelo amanhã



Quando uma porta se fecha, mais duas se abrem. Qual caminho devo seguir? O da esquerda ou o da direita? Qual será o certo? E qual será o errado? Devo seguir a razão ou a emoção? Quando eu nasci, ninguém me falou que lá fora seria difícil. Que eu ia cair muito, antes de aprender. Que eu me arrependeria. Que tinha que lutar até que minhas forças acabassem. Ninguém me alertou ninguém falou nada. Tive que aprender da maneira mais difícil. Sentir na pele o sofrimento, a dor, a rejeição, o medo, a falsidade e as dificuldades. Chorei muito. Pensei que o mundo ia acabar. Que meus sonhos nunca se realizariam. Mas, eu parei. Parei e pensei. Pensei em tudo o que já vivi. Em toda a minha vida. E pensei, também, na vida que as pessoas que eu amo passaram e passam. E vi que o que eu estava passando não era nada comparado ao que outras pessoas passam. Só que acreditar nisso é meio complicado. Porque eu existo? Porque eu estou aqui? Porque eu estou passando por isso? Porque eu nasci, e porque irei morrer? Por quê? Destino? Talvez! Quer saber? Eu queria mesmo era viver no meu mundo imaginário. Onde tudo é possível. Onde todos somos felizes. Eu queria encontrar um príncipe. Me casar. Construir uma família. Nunca envelhecer. Ser para sempre feliz. Eu queria. Ah, como eu queria que tudo fosse assim, mais fácil. Que a vida fosse perfeita. Só que a realidade é outra, outra coisa... Se é preciso errar para aprender. Se é preciso chorar para sorrir. Se é preciso sofrer para amar. Então, que assim seja! Errarei, chorarei e sofrerei, mas aprenderei, sorrirei e amarei. Serei feliz. Aceitarei os desafios. Farei tudo o que estiver ao meu alcance. Se eu cair, me levantarei quantas vezes for preciso. Seguirei meu coração. Confiarei em mim. Lutarei pelo amanha. Se for meu destino passar por isso, passarei e não reclamarei. Porque eu sei que isso é apenas o começo. Que coisas muito piores acontecerão. Porque eu ainda não sei a verdadeira dor, a verdadeira solidão e o verdadeiro sofrimento. Ainda os descobrirei. Farei cada minuto de minha existência valer a pena. Aproveitarei tudo o que a vida tem de bom. Seguirei meu caminho e um dia morrerei. Morrerei com um sorriso em meu rosto. Porque eu sei que nada foi em vão. E porque eu sei que a vida é tão bela, que uma simples queda pode fazer ela valer uma eternidade... Os minutos passam tão rápido quanto uma vida inteira.
Aline Bueno

quinta-feira, 3 de março de 2011

Eu não sei ...


Eu não sei mais o que faço de minha vida. Eu não sei se um dia deixarei de te amar. Eu não sei quando irei parar de me machucar. Eu não sei se assim eu conseguirei viver. Eu não sei o que fazer para parar de chorar. Eu não sei o que fazer para não te amar. Eu não sei sobre o meu futuro, mas gostaria de poder controlá-lo. Eu não sei viver sem ti. Já não posso imaginar o que eu seria sem você ao meu lado. Eu não sei respirar, sem saber se estás bem. Eu não sei o porquê eu te amo tanto. Eu não sei sonhar, sem que você esteja presente. Eu não sei amar outra pessoa, que não seja você. Mas, eu sei o que é sentir saudade. Eu sei a dor de ter um amor não correspondido. Eu sei o que é amar. Eu sei o que é sofrer. Eu sei tudo sobre o amor, porque sempre te amei. Você sempre esteve presente em meu coração. Mesmo quando, eu quis arrancá-lo de dentro de mim, porque eu não tinha mais forças para continuar te amando. E aqui estou eu, firme e forte, com aquele mesmo sentimento doentio, pulsando e me atormentando a todo o momento. Eu não sei o que faço. Mas, eu sei os meus próximos passos.
Aline Bueno

Um dia ...


Um dia uma menina se apaixonou. E, resolveu esconder esse amor de todos. Chorou, sofreu, chorou. Chegou até a imaginar, que logo morreria. A dor de não ter, em seus braços, a pessoa que amava a atormentou durante meses. Embora, não soubesse que esse amor poderia ser correspondido, se matou. Por querer ser tão egoísta, e querer aquela pessoa amada, somente para ela.
Aline Bueno