domingo, 26 de dezembro de 2010

O sentimento sem resentimento: Amor de Verão


Durante muito tempo em minha vida eu achava que o errado era o certo e o certo era o errado. Eu não sabia ouvir, nem me expressar. Não sabia me lidar com as coisas que aconteciam comigo. Não era feliz e não sentia prazer em viver minha vida. Embora, quando eu conheci um alguém que mexeu com os meus sentimentos, eu descobri que a vida é muito melhor quando é vivida com muito amor e carinho. Aprendi ao lado dele, inúmeras coisas. Mas, ao mesmo tempo, eu sofri. Durante um bom tempo, era só ele em que eu pensava e lutava a cada dia para conquistá-lo. Mas o que se pode fazer quando se falta confiança e atitude em ambos os lados? Era eu chorando aqui, e ele lá. Éramos dois adolescentes rebeldes apaixonados, que só queriam viver um ao lado do outro e desfrutar desse louco amor que nos intimidava e nos incomodava. Durante um bom tempo, permanecemos juntos. Sim, fomos felizes e ainda somos, mas descobrimos que na vida não é só amar, e que ela não é tão perfeita como achávamos. Para nós, aquilo era um conto de fadas. E nunca passou disso. Aprendemos a confiar mais um no outro e a amá-lo incondicionalmente. A gente sofreu e muito, mas conseguimos lutar e nos mantermos de pé. De tanto que esse amor nos fazia sofrer, ambos decidimos que era melhor deixamos de amar um ao outro. No principio, não deu certo. Porque éramos incapazes de sobreviver sem a presença e o carinho do outro. Mas, quando conhecemos novas pessoas, descobrimos que aquele louco amor era somente um amor de verão. Um amor que iria passar com o tempo, mas que também deixaria grandes rastros em nossa memória, nosso passado. E apesar de todas as brigas, todos os desentendimentos, nós dois ainda nos amamos... É claro, como amigos. E nunca deixaremos de nos falar. Apesar, somos melhores amigos e assim será eternamente.
Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário